A mulher que pariu um peixe

Rai Soares. A mulher que pariu um peixe e outros contos fantásticos de Severa Rosa. Jandaíra, 2021. Autora da obra A mulher que pariu um peixe e outros contos fantásticos de Severa Rosa, a maranhense Rai Soares é assistente social e economista; professora associada da Universidade Federal Fluminense, coordena o Núcleo de Estudos e Pesquisa... Continuar Lendo →

O pensamento de Angela Davis, por Bruna Santiago

Bruna Santiago. O pensamento de Angela Davis: perspectivas de liberdade e resistência. Editora Letramento, 2021. O pensamento de Angela Davis: perspectivas de liberdade e resistência é uma obra escrita pela historiadora, pesquisadora, ciberativista e professora Bruna Santiago. Esse livro apresenta um apanhado sobre a produção intelectual da filósofa, escritora e ativista Angela Davis. Através dessa... Continuar Lendo →

Urgências do presente

Vera Duarte. Desassossegos & Acalantos. Katuka Edições, 2021. A vida, como a compreendemos, requer dinamicidade e, em momentos nos quais o exercício desta é interrompido, levantam-se questionamentos de natureza política e social. A pandemia do Covid-19 provocou mudanças na realidade vivida, dada a natureza das medidas de contenção do contágio – em especial, o isolamento.... Continuar Lendo →

Um Corpo-Verbo

Thaíse Santana. Mulher-Palavra. Editora Patuá, 2021. Nascida em São Pedro, periferia de Itabuna, no sul da Bahia, Thaíse Santana é licenciada em Letras (UESC), mestra em Letras (UFV) e doutoranda em Literaturas (UFF). Pesquisadora do GPAfro (UESC/CNPq), em que estuda literaturas de mulheres negras, mora em Sabará, região metropolitana de Belo Horizonte. É professora da... Continuar Lendo →

Voa, Sankofa, voa!

Alessandra Martins. Voa, Sankofa, voa! Resistência em poesia. Chiado, 2021. A obra da educadora, poetisa e historiadora Alessandra Martins traz quatro capítulos poéticos inspirados na luta racial em uma democracia desiludida, pelo olhar de uma mulher negra. Publicado pela editora Chiado Books, Voa, Sankofa, voa! é uma obra que, por um lado, te prende através... Continuar Lendo →

Resistir para poder ser negra

Alessandra Devulsky. Colorismo. Jandaíra, 2021. Colorismo, lançado este ano pela editora Jandaíra, faz parte da série “Feminismos Plurais”, coleção organizada pela filósofa Djamila Ribeiro. O livro apresenta à leitora o grande debate sobre o colorismo e o modo como ele opera na vida de pessoas negras – principalmente, de nós, negras brasileiras. Aliás, acho importante... Continuar Lendo →

O jardim de reflexões de Djaimilia

Djaimilia Pereira de Almeida. A Visão das Plantas. Todavia, 2020. Djaimilia Pereira de Almeida é um dos nomes de referência da literatura portuguesa na atualidade. Autora de Esse Cabelo; Luanda, Lisboa, Paraíso (vencedor do prêmio Oceanos em 2019) e Pintando com o Pé, entre outras obras, Djaimilia e sua escrita atravessam mundos; seus livros se... Continuar Lendo →

Amor e afeto em uma sociedade racista

Aline de Campos. Todos os olhos em mim: a presença do racismo nos relacionamentos inter-raciais. Quintal Edições, 2020. Escrito por Aline de Campos, a obra Todos os olhos em mim: A presença do racismo nos relacionamentos inter-raciais é composta por histórias de corpos diversos e experiências semelhantes. Com ilustrações de Aline Lima, o livro publicado... Continuar Lendo →

Um livro que é como um rio

Cidinha da Silva. Oh, margem! Reinventa os rios!. Editora Oficina Raquel, 2020. Cidinha, eu mergulhei nesse rio como se o fim do mundo fosse hoje. A literatura de Cidinha da Silva é um caminho cheio de surpresas; por isso, sua escrita ultrapassa as fronteiras de qualquer imaginação limitadora. Seguindo essa característica, a segunda edição do... Continuar Lendo →

A luta quilombola é feminina

Selma dos Santos Dealdina (org.). Mulheres quilombolas: territórios de existências negras femininas. Jandaíra, 2020. Olá, leitora! Seja bem-vinda a mais uma leitura quinzenal. Iniciaremos nossa conversa com a seguinte pergunta: Você conhece uma mulher quilombola ou sabe o que isso significa? A obra Mulheres Quilombolas: territórios de existências negras femininas responde: “Ser mulher quilombola é... Continuar Lendo →

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑