Na hora da virada

Angie Thomas. Na hora da virada. Galera Record, 2019. Publicado pela editora Record, Na Hora da Virada (On The Come Up) relata a história da jovem protagonista Brianna, uma adolescente de dezesseis anos que luta para conciliar o seu sonho de ser rapper, os problemas financeiros vivenciados em casa e os estudos. Bri é moradora... Continuar Lendo →

A Bruxa Negra de Salem

Maryse Condé. Eu, Tituba: Bruxa Negra de Salem. Rosa Dos Tempos, 2019. Maryse Condé, nascida no ano de 1937 em Guadalupe – um departamento ultramarino da França, na região do Caribe – é uma professora, ativista, feminista e escritora destacada na região onde nasceu. Tendo ultrapassado o número de vinte livros impressos, seu primeiro romance... Continuar Lendo →

E eu não sou uma mulher?

bell hooks. E eu não sou uma mulher? Mulheres negras e feminismo. Rio de Janeiro: Rosa dos Tempos, 2019. bell hooks é uma emblemática intelectual negra estadunidense, autora de diversas obras, ativista social e educadora. Seu nome de batismo é Gloria Jean Watkins, sendo o nome pelo qual é conhecida uma homenagem à sua vó,... Continuar Lendo →

Uma menina da cor da meia-noite

Lupita Nyong’o. Sulwe. Tradução de Rane Souza. Rocco, 2019. Sulwe nasceu com a pele da cor da meia-noite. Essa é a frase que abre o primeiro livro assinado por Lupita Nyong’o – a premiada atriz e diretora nascida no México, de pais quenianos, que vem se destacando por um ativismo político do qual a obra... Continuar Lendo →

O que é possível num mundo de amor?

Cidinha da Silva. Kuami. Pólen, 2019. Era uma vez uma sereia amada e feliz, moradora do Sereal, filha de Hércules e Naomi, cantora de um coral de Cardinais Invertidos, amiga de Nandoctopus, sobrinha de Helena, irmã de Kuami do país Lunda Oi, pretas! Hoje vamos de resenha! Escrito pela mineira Cidinha da Silva e publicado... Continuar Lendo →

Miríades de Maréia

Miriam Alves. Maréia. Malê, 2019. Antecipo: recai em equívoco quem pensa que o título deste texto foi composto à maneira de um mero trocadilho. Ao nele mencionar “miríades”, tenciono, de fato, aludir a um aspecto fundamental desta mais recente obra de Miriam Alves: Maréia é uma obra que, se basilarmente construída a partir de um... Continuar Lendo →

Sombras de um cenário (des)conhecido

Léonora Miano. A estação das sombras. Pallas, 2017. Léonora Miano nasceu em 1973 em Douala, na costa de Camarões, onde passou a infância e a adolescência, antes de partir para França – onde, hoje, reside com sua família. Com dezenas de obras publicadas, a escritora já foi várias vezes premiada: ganhou o Prêmio Goncourt com... Continuar Lendo →

Empoderamento como prática de enfrentamento

Joice Berth. O que é empoderamento? Pólen, 2019. “A revolução começa comigo, no interior. É melhor reservarmos tempo para tornar nossos interiores revolucionários, nossas vidas revolucionárias, nossos relacionamentos revolucionários. A boca não vence a guerra” – é com esta citação de Toni Cadê Bambara que Joice Berth (arquiteta e urbanista, especialista em Direito Urbanístico e... Continuar Lendo →

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑