Americanah

Chimamanda Ngozi Adichie. Americanah. Tradução de Julia Romeu. São Paulo: Companhia das Letras, 2014. Premiada obra da escritora e feminista nigeriana Chimamanda Ngozi Adichie – autora de outras grandes obras como Meio Sol Amarelo, Hibisco Roxo e Sejamos Todos Feministas, as duas últimas já resenhadas aqui no blog –, Americanah nos permite acompanhar a trajetória... Continuar Lendo →

Tempos difíceis. Tempos cruéis

Imagem por society6 São tempos difíceis. Tempos cruéis. Estamos vivenciando uma situação que se assemelha com o que estudamos nos livros de História e que parecia muito distante de nossa realidade. Um cenário parecido com algum enredo de um filme apocalíptico ou com alguma narrativa distópica. Mas, não. Infelizmente, é nossa realidade atual, a qual... Continuar Lendo →

Muitos se descobriram negrxs, e vítimas do racismo, mas o Brasil não se assumiu racista

Bianca Santana. Quando me descobri negra. SESI-SP editora, 2015 O livro Quando me descobri negra, de Bianca Santana, é composto por 28 pequenos relatos. É de uma linguagem simples, objetiva, que narra vivências com as quais, nós, pessoas pretas nos identificamos, uma vez que temos algumas (muitas) experiências comuns. Eu, enquanto leitora preta, relembrei meu... Continuar Lendo →

Um outro Brooklyn

Jacqueline Woodson. Um outro Brooklyn. Todavia, 2020. Um outro Brooklyn foi o primeiro romance escrito e protagonizado por mulheres negras que eu li. Fiquei bastante eufórica em ler esse belo romance de Jacqueline Woodson, publicado no Brasil em tradução de Stephanie Borges – jornalista, poeta e tradutora negra –, porque a escritora diz ter revisitado... Continuar Lendo →

Ser uma criança negra na pré-escola

A pré-escola é uma fase fundamental na construção da autoestima de uma criança. Embora seja um processo que perdura ao longo da vida, é na infância que esse processo tem início e é a partir das primeiras experiências em sociedade – que acontecem, em maior parte, na escola – que o indivíduo desenvolve percepções de... Continuar Lendo →

“Não somos racistas! Racistas são os outros”

Djamila Ribeiro. Pequeno manual antirracista. Companhia das Letras, 2019. O primeiro ponto a ser observado no Pequeno manual antirracista da filósofa Djamila Ribeiro, é a acessibilidade da linguagem. Djamila constrói este texto recorrendo a uma linguagem de fácil compreensão; uma escrita objetiva que visa alcançar pessoas de todas as camadas e contextos sociais – afinal,... Continuar Lendo →

Cidinha da Silva, poeta

Na orelha de Canções de amor e dengo (Edições Me Parió Revolução, 2016), escreve Cidinha da Silva: “Não sou poeta, cometo alguns poemas e nesse ano comemorativo de 10 anos de carreira como escritora resolvi mostrá-los. São parte de mim e do meu trabalho e agora vão para a rua”. Esse é o tom que... Continuar Lendo →

Contra os silenciamentos

Fernanda R. Miranda. Silêncios prEscritos: estudos de romances de autoras negras brasileiras (1859-2006). Malê, 2019. Silêncios prEscritos constitui a versão em livro da tese de doutorado de Fernanda Rodrigues Miranda, defendida em 2019 e publicada no mesmo ano pela editora Malê. Qualificar o livro como uma obra de fôlego é recair na obviedade, considerando-se as... Continuar Lendo →

O legado da Rainha Guerreira

Linda M. Heywood. Jinga de Angola: a Rainha guerreira da África. Todavia, 2019. Jinga de Angola: A Rainha guerreira da África é uma obra biográfica escrita pela professora de história e estudos afro-americanos Linda Heyhood. Além de tratar aspectos relevantes sobre a trajetória de Jinga, essa produção revisita a origem do nosso povo e reafirma... Continuar Lendo →

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑