O Teatro Negro de Cidinha da Silva

Cidinha da Silva. O Teatro Negro de Cidinha da Silva. Aquilombô, 2019. Cidinha da Silva é uma escritora que observa a atualidade. Em seus escritos encontramos o samba, o carnaval, a Mangueira, as nossas dores, as nossas alegrias – o nosso cotidiano. Cidinha da Silva é uma mulher plural, e essa característica se reflete na... Continuar Lendo →

Sobre a cura

O racismo é algo que pode ser perdoado? A escravidão dos nossos antepassados pode ser perdoada? Alguém, além de mim, carrega esses pensamentos como uma mágoa? As vezes me pergunto isso. Uma vez, assistia à cena de um filme; era uma mulher negra escravizada sendo vendida diante do filho. Meu pai, que também é negro,... Continuar Lendo →

Vozes da resistência (II)

Priscilla Mina (Org.). Vozes da resistência. Conexão 7, 2020. No texto de hoje, continuo a tratar de Vozes da resistência, livro que reúne apenas escritoras negras, organizado pela editora Priscilla Mina e publicado pela Conexão 7. Na semana passada, abordei quatro das dezoito narrativas publicadas no livro, que abordam o racismo no ambiente escolar e... Continuar Lendo →

Vozes da resistência (I)

Priscilla Mina (Org.). Vozes da resistência. Conexão 7, 2020. Vozes da resistência, organizado pela editora Priscilla Mina e publicado pela Conexão 7 – empresa composta por Priscilla e seus dois irmãos que tem, entre seus propósitos, atender às demandas do povo negro – é o segundo volume do Projeto Identidade. Como o primeiro volume do... Continuar Lendo →

Uma carta à gente branca

Cara gente branca, já que vocês decidiram perguntar – a gente já tem falado disso há um tempo e vocês não quiseram ouvir, mas enfim –, vou responder à sua pergunta: o que você pode fazer para não ser racista? Vamos começar relembrando um pouco da sua história de luta contra o racismo. Sua batalha... Continuar Lendo →

O afrofuturismo e a Sankofia de Lu Ain-Zaila

Lu Ain-Zaila. Sankofia: breves histórias sobre afrofuturismo. Edição da autora, 2018. Após iniciar a minha leitura dos contos de Lu Ain-Zaila, fiquei imaginando como seriam os filmes de ficção científica caso introduzissem a cultura de matrizes africanas. Será que Blade Runner teria alcançado tanto sucesso, se no papel principal tivesse uma atriz negra? E se... Continuar Lendo →

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑