Na hora da virada

Angie Thomas. Na hora da virada. Galera Record, 2019.

41HGVGh3GlLPublicado pela editora Record, Na Hora da Virada (On The Come Up) relata a história da jovem protagonista Brianna, uma adolescente de dezesseis anos que luta para conciliar o seu sonho de ser rapper, os problemas financeiros vivenciados em casa e os estudos. Bri é moradora de um bairro humilde mais conhecido pelas gangues e pelas mortes. Após passar por uma situação envolvendo o racismo em seu colégio de maioria branca, ela também tenta conviver com as acusações de que foi alvo, tendo sido tratada como uma marginal e uma traficante. Com isso, Bri desconta toda a sua raiva criando um rap, o que logo mais, será alvo de mais críticas e acontecimentos devido a sua grande repercussão.

Querem que a garota preta só cante sobre tiro e treta,
Pra encherem seus bolsos de dinheiro e me sujarem primeiro.

Brianna é uma personagem que se encaixa perfeitamente na famosa frase “não julgue um livro pela capa”, pois ela é julgada o tempo inteiro devido às suas características — sejam suas atitudes ou, perante o olhar racista, simplesmente por ser negra e vir de um bairro humilde e perigoso. De fato, o temperamento da personagem não é algo que ajuda muito a manter o controle das situações pelas quais ela passa, pois na maioria das vezes, Brianna toma atitudes sem pensar; isso faz com que ao mesmo tempo em que o leitora torce para ela dar a volta por cima, também se irrite com algumas atitudes dela, levando em consideração que levam a própria personagem se afundar nas consequências de suas ações.

Para quem é familiarizado com o primeiro sucesso de Angie Thomas, O Ódio que Você Semeia (The Hate U Give), eu diria que Na Hora da Virada é uma espécie de “livro extra” da história abordada no primeiro romance de Thomas, já que seu novo livro se passa em Garden Heights, o mesmo bairro em que ocorreram as manifestações pela morte do Khalil, acontecimento que será citado diversas vezes no decorrer do livro. Angie Thomas, em seu segundo livro, mostra uma Garden Heights mais atenta, devido ao medo de outra tragédia e às consequências que os moradores e o bairro sofreram.

Tem caras de uniforme por toda a região.
Acham que nosso lugar é no camburão.
Se reagimos, atacamos, eles surgem e dizem não
Trazem tropas usam botas pelo bem da nação.

A trama é recheada de personagens fortes com histórias de vidas emocionantes, o que faz a leitora se surpreender com a maneira como cada personagem possui um respeito pela história do outro, como se um entendesse de alguma maneira a dor pela qual o outro está passando ou passou. Sobre tudo, é impossível ler o livro e pelo menos não se comparar a Bri em algum detalhe ou se colocar no lugar de qualquer outro personagem do enredo, como Malik, Trey, Jay e entre outros.

Na Hora da Virada se diferencia por não focar diretamente no preconceito racial (assunto que Angie Thomas sabe abordar muito bem, por sinal), mas na questão: até onde uma pessoa pode ir para que os seus sonhos se concretizem? Mesmo se tratando de uma literatura juvenil cercada de referências atuais, como Nicki Minaj, Star Wars, Kendrick Lamar, Pantera Negra e outras referências norte americana, Thomas consegue acertar ao equilibrar comédia e assuntos sérios em pontos estratégicos do enredo, assim, produzindo uma leitura que prende a leitora.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: