Um outro Brooklyn

Jacqueline Woodson. Um outro Brooklyn. Todavia, 2020. Um outro Brooklyn foi o primeiro romance escrito e protagonizado por mulheres negras que eu li. Fiquei bastante eufórica em ler esse belo romance de Jacqueline Woodson, publicado no Brasil em tradução de Stephanie Borges – jornalista, poeta e tradutora negra –, porque a escritora diz ter revisitado... Continuar Lendo →

Passos fincados na memória do afeto

Scholastique Mukasonga. A mulher de pés descalços. Nós, 2017. Quando eu morrer, quando vocês perceberem que eu morri, cubram meu corpo. Ninguém deve ver meu corpo, não se pode deixar ver o corpo de uma mãe. Vocês, que são minhas filhas, têm a obrigação de cobri-lo, cabe somente a vocês fazerem isso. – é com... Continuar Lendo →

Um casamento, um descaso, não por acaso

Tayari Jones. Um casamento americano. Arqueiro, 2019. Um casamento americano é uma obra de Tayari Jones, escritora estadunidense. Tayari é autora de quatro romances, ganhadora de vários prêmios literários; além disso, faz parte do corpo docente do Departamento de Artes da Rutgers, em Newark, e atua como pesquisadora visitante no Black Mountain Institute, na Universidade... Continuar Lendo →

Na hora da virada

Angie Thomas. Na hora da virada. Galera Record, 2019. Publicado pela editora Record, Na Hora da Virada (On The Come Up) relata a história da jovem protagonista Brianna, uma adolescente de dezesseis anos que luta para conciliar o seu sonho de ser rapper, os problemas financeiros vivenciados em casa e os estudos. Bri é moradora... Continuar Lendo →

A Bruxa Negra de Salem

Maryse Condé. Eu, Tituba: Bruxa Negra de Salem. Rosa Dos Tempos, 2019. Maryse Condé, nascida no ano de 1937 em Guadalupe – um departamento ultramarino da França, na região do Caribe – é uma professora, ativista, feminista e escritora destacada na região onde nasceu. Tendo ultrapassado o número de vinte livros impressos, seu primeiro romance... Continuar Lendo →

Miríades de Maréia

Miriam Alves. Maréia. Malê, 2019. Antecipo: recai em equívoco quem pensa que o título deste texto foi composto à maneira de um mero trocadilho. Ao nele mencionar “miríades”, tenciono, de fato, aludir a um aspecto fundamental desta mais recente obra de Miriam Alves: Maréia é uma obra que, se basilarmente construída a partir de um... Continuar Lendo →

Sombras de um cenário (des)conhecido

Léonora Miano. A estação das sombras. Pallas, 2017. Léonora Miano nasceu em 1973 em Douala, na costa de Camarões, onde passou a infância e a adolescência, antes de partir para França – onde, hoje, reside com sua família. Com dezenas de obras publicadas, a escritora já foi várias vezes premiada: ganhou o Prêmio Goncourt com... Continuar Lendo →

(Re)ler “Úrsula”

Úrsula, de Maria Firmina dos Reis, foi publicado em 1859 e é considerado o primeiro romance escrito por uma mulher negra no Brasil. Foi o primeiro romance que jogou luz sobre a temática assombrosa da escravidão, sistema vigente da época, haja vista que a Lei Áurea só foi promulgada em 1888 no Brasil, quase 30... Continuar Lendo →

Os brutos e os mortos

Ana Paula Maia. Enterre seus mortos. Companhia das Letras, 2018. Publicado em 2018 pela Companhia das Letras, o livro Enterre seus mortos, de Ana Paula Maia, conta a história de Edgar Wilson, um removedor de animais mortos, e de Tomás, um padre excomungado que é amigo e colega de trabalho de Edgar. O cotidiano dos... Continuar Lendo →

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑