Essa dama bate bué!

Yara Nakahanda Monteiro. Essa dama bate bué! Todavia, 2021. A publicação do romance Essa damá bate bué! marcou a estreia de Yara Nakahanda Monteiro no cenário contemporâneo das literaturas de Língua Portuguesa. A autora nasceu em Huambo, na Angola, mas cresceu e foi educada formalmente em Lisboa, Portugal. Esse trânsito entre os dois países revela... Continuar Lendo →

Poesia sem pudor

Carmen Faustino. Estado de libido: ou poesias de prazer e cura. Oralituras, 2020. O nome de Carmen Faustino soa familiar a qualquer pessoa que se interessa pela literatura brasileira de autoria negra. Há quase uma década, Carmen vem organizando importantes antologias – como Pretextos de mulheres negras, coorganizada com Elizandra Souza (Mjiba, 2013); a coleção... Continuar Lendo →

Saindo da escuridão

Akila Raawiya. Saia da escuridão: um guia Inicial para aprender de forma simples a verdadeira história africana. Edição independente, 2021. Antes de falar efetivamente desta preciosidade que é o livro Saia da escuridão, de Akilah Raawiya, necessito contextualizar brevemente esse encontro que pode ser um ponto de partida essencial para qualquer pessoa preta que quer... Continuar Lendo →

Pretas estão sendo amadas

É bem comum se ver mulheres negras comentando entre si, nas redes sociais, sobre a solidão afetiva: sobre serem trocadas, não receberem afeto suficiente, entre muitas outras coisas. Fico bem feliz quando vejo fotos ou textos de mulheres negras sendo amadas, sobretudo sabendo que isso não é algo tão comum. E por que digo isso?... Continuar Lendo →

Os desafios da interseccionalidade

Carla Akotirene. Interseccionalidade. Editora Jandaíra, 2019. O livro Interseccionalidade, escrito por Carla Akotirene, é o quinto da coleção Feminismos Plurais, coleção coordenada por Djamila Ribeiro e publicada pela editora Jandaíra. Carla é uma importante militante, pesquisadora e escritora relacionada ao feminismo negro no Brasil. Na obra, ela aborda o conceito de interseccionalidade desde a sua... Continuar Lendo →

Uma biografia em forma de poesia

Luciene Nascimento. Tudo nela é de se amar: a pele que habito e outros poemas da jornada da mulher negra. Estação Brasil, 2021. Tudo nela é de se amar: a pele que habito e outros poemas da jornada da mulher negra é a obra de estreia da advogada, maquiadora e poetisa Luciene Nascimento. Publicado em... Continuar Lendo →

Passagens (uma homenagem)

Sempre tive dificuldade de expor meus sentimentos e, de fato, expor o meu eu para o mundo. Durante toda a vida quis me esconder nas entrelinhas, fingir que não sou protagonista da minha própria narrativa ou enganar a figura do meu próprio sujeito. Isto é, agir por vontade própria sempre foi algo assustador. Questionamentos curtos,... Continuar Lendo →

Enegrecendo a educação

Clarissa Brito. O enegrecer psicopedagógico: um mergulho ancestral. São Paulo: Jandaíra, 2021. Lançada em outubro de 2020, a obra O enegrecer psicopedagógico: um mergulho ancestral, de Clarissa Brito, pode ser considerada uma contribuição fundamental para os estudos das práticas educacionais do nosso país, principalmente no que diz respeito a uma educação antirracista. Aliás, atrevo-me a... Continuar Lendo →

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑