Um Corpo-Verbo

Thaíse Santana. Mulher-Palavra. Editora Patuá, 2021. Nascida em São Pedro, periferia de Itabuna, no sul da Bahia, Thaíse Santana é licenciada em Letras (UESC), mestra em Letras (UFV) e doutoranda em Literaturas (UFF). Pesquisadora do GPAfro (UESC/CNPq), em que estuda literaturas de mulheres negras, mora em Sabará, região metropolitana de Belo Horizonte. É professora da... Continuar Lendo →

Voa, Sankofa, voa!

Alessandra Martins. Voa, Sankofa, voa! Resistência em poesia. Chiado, 2021. A obra da educadora, poetisa e historiadora Alessandra Martins traz quatro capítulos poéticos inspirados na luta racial em uma democracia desiludida, pelo olhar de uma mulher negra. Publicado pela editora Chiado Books, Voa, Sankofa, voa! é uma obra que, por um lado, te prende através... Continuar Lendo →

Escritos de Celinha

“Celinha”, nome artístico de Célia Aparecida Pereira, é uma das duas autoras presentes no histórico primeiro número dos Cadernos Negros, publicado em 1978 – ao lado dela e de Angela Lopes Galvão, o volume trazia composições de Cuti, Eduardo de Oliveira, Henrique Cunha Jr., Hugo Ferreira, Jamu Minka e Oswaldo de Camargo. Além dos cinco... Continuar Lendo →

A subjetividade de uma unicórnia preta

Audre Lorde. A Unicórnia Preta. Relicário Edições, 2020. No dia 18 de fevereiro, Audre Lorde completaria 87 anos e, a fim de homenageá-la, decidi mergulhar em sua obra. Comecei pelo essencial Irmã Outsider: Ensaios e Conferências; em seguida, fui presenteada com a leitura de seu livro de poemas A Unicórnia Preta, ao qual dedico essa... Continuar Lendo →

O regresso de Geni

Geni Guimarães. Poemas do Regresso. Rio de Janeiro: Malê, 2020. Não é simples ter a missão de escrever a primeira resenha do ano, assim como não é fácil ter a responsabilidade de escrever sobre uma obra de Geni Guimarães. Digo isso, pois falarei hoje sobre uma obra tão forte e potente quanto a sua autora,... Continuar Lendo →

Três poemas históricos de autoras negras

Neste ano de 2020, em referência ao Dia Nacional da Consciência Negra, resgatamos poemas de três autoras negras publicados em edições históricas dos Cadernos Negros. De Cadernos Negros 3, publicamos o poema “Zumbi”, de Magdalena de Souza; de Cadernos Negros 9, extraímos um poema assinado por Esmeralda Ribeiro; de Cadernos Negros 13, o poema “Objetando”,... Continuar Lendo →

Cidinha da Silva, poeta

Na orelha de Canções de amor e dengo (Edições Me Parió Revolução, 2016), escreve Cidinha da Silva: “Não sou poeta, cometo alguns poemas e nesse ano comemorativo de 10 anos de carreira como escritora resolvi mostrá-los. São parte de mim e do meu trabalho e agora vão para a rua”. Esse é o tom que... Continuar Lendo →

Echar de menos

Lubi Prates. permanece,. nosotros, editorial, 2019. permanece, é um volume que reúne dez poemas da tradutora, poeta e editora Lubi Prates, que em 2018 estourou com o livro um corpo negro, em que versificou temas que nos são tão caros, como é o caso do famigerado racismo estrutural. Em permanece, lançado em 2019, a poeta... Continuar Lendo →

O legado de Maurinete Lima

Maurinete Lima. Sinhá Rosa. Organização de Élida Lima. Invisíveis produções, 2017. Sinhá Rosa pode ser pensado como um livro-legado de Maurinete Lima – que publicou a obra em 2017, aos 74 anos, pouco antes de seu falecimento. Nascida no Recife, Maurinete construiu uma carreira como intelectual negra, formando-se socióloga e atuando como professora da UFRN.... Continuar Lendo →

Por uma Terra cada vez mais Negra

  Cristiane Sobral. Terra Negra. Rio de Janeiro: Malê, 2017. Cada texto escrito, cada obra resenhada, cada livro de autoria feminina negra que eu leio é sempre numa tentativa de resgate – seja da ancestralidade, seja da identidade ou mais um encontro com a negritude. Tudo isso se materializa através da leitura e da escrita... Continuar Lendo →

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑