Meu cabelo e Eu

Você é ensinada, desde muito nova, a não construir uma relação saudável com seu cabelo. Ele tem um aspecto mais seco, cresce para cima e não desliza entre os seus dedos. “Um verdadeiro bombril”, como alguns dizem. Você cresceu ouvindo coisas como: “prende esse cabelo”, “seu cabelo está precisando de uma boa hidratação, ele está... Continuar Lendo →

Si-Simona

Oi, pretas! Hoje trago algo entre uma resenha do filme Simonal, em cartaz desde o dia 8 desse mês de agosto, e um relato da minha experiência como mulher negra, enquanto espectadora da obra. Não se preocupem: esse relato/resenha é totalmente livre de spoilers, principalmente porque se vocês, assim como eu, pouco sabiam dessa história,... Continuar Lendo →

À escuta das “Anastácias Redivivas”

Começo este relato falando sobre uma sensação deliciosa que toda pessoa negra, que possui consciência da sua negritude, sente ao chegar a qualquer espaço elitizado: perceber que não se está sozinho, pois existem outras negras e negros ali, compartilhando e fruindo de tudo o que o ambiente pode oferecer. A tal sensação me invadiu logo... Continuar Lendo →

Uma preta na FLIP 2019

Neste último fim de semana, aconteceu a FLIP 2019, festa literária internacional de Paraty. Foi o segundo ano em que me dei a oportunidade de ir ao evento. Paraty é uma cidade turística que oferece duas principais atrações: o centro histórico e as belíssimas praias e cachoeiras no seu entorno. Para os amantes da literatura... Continuar Lendo →

Valiosas vivências

Oi, pretas! Eu me chamo Mariana Oliveira e sou aluna do sétimo período de Português/Literaturas de Língua Portuguesa na UERJ. Tive a honra de ser escolhida como voluntária no LetrasPretas e, como este é o meu primeiro texto, resolvi começar com uma apresentação – e, espero, uma reflexão para vocês, também! No início da minha... Continuar Lendo →

Mariana

Essa criança da foto acima é Mariana, minha afilhada. Ela tem 4 anos e é uma criança negra – vocês perceberam, né? Mariana é criada por mulheres negras: a mãe, a vó, a tia e eu. A nossa casa sempre teve a força e a luta matriarcal, e não somos, nenhuma de nós, elementos desajustados... Continuar Lendo →

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑