A terceira vida de Grange Copeland

Alice Walker. A terceira vida de Grange Copeland. Tradução de Carol Simmer e Marina Vargas. José Olympio, 2020. A terceira vida de Grange Copeland foi publicado em 1970, quando Alice Walker tinha 26 anos; apenas três anos antes ela havia estreado como escritora, publicando sua primeira narrativa curta – e, em 1968, viera a lume... Continuar Lendo →

Três poemas históricos de autoras negras

Neste ano de 2020, em referência ao Dia Nacional da Consciência Negra, resgatamos poemas de três autoras negras publicados em edições históricas dos Cadernos Negros. De Cadernos Negros 3, publicamos o poema “Zumbi”, de Magdalena de Souza; de Cadernos Negros 9, extraímos um poema assinado por Esmeralda Ribeiro; de Cadernos Negros 13, o poema “Objetando”,... Continuar Lendo →

Vozes da resistência (II)

Priscilla Mina (Org.). Vozes da resistência. Conexão 7, 2020. No texto de hoje, continuo a tratar de Vozes da resistência, livro que reúne apenas escritoras negras, organizado pela editora Priscilla Mina e publicado pela Conexão 7. Na semana passada, abordei quatro das dezoito narrativas publicadas no livro, que abordam o racismo no ambiente escolar e... Continuar Lendo →

Vozes da resistência (I)

Priscilla Mina (Org.). Vozes da resistência. Conexão 7, 2020. Vozes da resistência, organizado pela editora Priscilla Mina e publicado pela Conexão 7 – empresa composta por Priscilla e seus dois irmãos que tem, entre seus propósitos, atender às demandas do povo negro – é o segundo volume do Projeto Identidade. Como o primeiro volume do... Continuar Lendo →

Cidinha da Silva, poeta

Na orelha de Canções de amor e dengo (Edições Me Parió Revolução, 2016), escreve Cidinha da Silva: “Não sou poeta, cometo alguns poemas e nesse ano comemorativo de 10 anos de carreira como escritora resolvi mostrá-los. São parte de mim e do meu trabalho e agora vão para a rua”. Esse é o tom que... Continuar Lendo →

Contra os silenciamentos

Fernanda R. Miranda. Silêncios prEscritos: estudos de romances de autoras negras brasileiras (1859-2006). Malê, 2019. Silêncios prEscritos constitui a versão em livro da tese de doutorado de Fernanda Rodrigues Miranda, defendida em 2019 e publicada no mesmo ano pela editora Malê. Qualificar o livro como uma obra de fôlego é recair na obviedade, considerando-se as... Continuar Lendo →

Amor e cura em contos de Elizandra Souza

Elizandra Souza. Filha do Fogo: 12 contos de amor e cura. Mjiba, 2020. Filha do Fogo é o primeiro volume em prosa assinado por Elizandra Souza – escritora, jornalista, editora e ativista cultural, a quem já dedicamos um dos episódios do programa de rádio LetrasPretas; de sua produção, já resenhamos aqui o livro de poemas... Continuar Lendo →

O ano de 2019 para o LetrasPretas

Para o LetrasPretas, 2019 foi um ano de renovação e de construção de parcerias. Com a chegada de novas integrantes, o grupo foi reestruturado para dar continuidade às suas diversas atividades: as Rodas de Leitura, o Mural e o programa de rádio. Isso viabilizou a composição de três murais: o mural em homenagem a Marielle Franco,... Continuar Lendo →

Uma menina da cor da meia-noite

Lupita Nyong’o. Sulwe. Tradução de Rane Souza. Rocco, 2019. Sulwe nasceu com a pele da cor da meia-noite. Essa é a frase que abre o primeiro livro assinado por Lupita Nyong’o – a premiada atriz e diretora nascida no México, de pais quenianos, que vem se destacando por um ativismo político do qual a obra... Continuar Lendo →

Miríades de Maréia

Miriam Alves. Maréia. Malê, 2019. Antecipo: recai em equívoco quem pensa que o título deste texto foi composto à maneira de um mero trocadilho. Ao nele mencionar “miríades”, tenciono, de fato, aludir a um aspecto fundamental desta mais recente obra de Miriam Alves: Maréia é uma obra que, se basilarmente construída a partir de um... Continuar Lendo →

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑